quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Visita à vila de Arraiolos, efectuada em 04.11.2009

Aproveitando o evento "10ª Mostra Gastronómica", promovida pela Câmara Municipal de Arraiolos, desloquei-me hoje com a minha "Maria" àquela vila alentejana.
Arraiolos é uma vila situada na região do Alentejo, no distrito de Évora. É uma vila muito antiga, havendo vestígios de anos anteriores à era cristã.
Em 1290 recebeu o primeiro foral do rei D. Dinis, que em 1305 manda edificar o castelo. Em 1511 recebe novo foral do rei D. Manuel.
Esta vila é conhecida pela manufactura dos famosos Tapetes de Arraiolos, que são bordados à mão com fio de lã sobre tela e que é uma tradição também ela muito antiga, tudo apontando para uma fase anterior ao séc. XV.
A cerca de 300 metros da entrada da vila, podemos admirar a Fonte da Pedra, que antigamente era conhecida como Fonte dos Almocreves e que foi construída em 1827. A parte traseira é composta por um tanque que é alimentado pela água da fonte. A imagem que apresento foi retirada do Google Hearth e é da autoria de António Calhau.

Quando chegámos fomos logo direitos ao Arraiolos Multiusos, que era o recinto onde decorria a Mostra Gastronómica. É um recinto pequeno onde estavam instalados os cinco restaurantes participantes, todos eles de Arraiolos com excepção de um, que era de Igrejinha.
Além dos restaurantes estavam também neste recinto as 10 Casas de Tapetes e os inscritos no 2º Festival da Empada.
Escolhemos ficar no Restaurante O Plourinho e saboreámos de entrada um pratinho de cogumelos, que estava muito bom, outro pratinho com farinheira e chouriça assadas e um delicioso queijinho seco. Para empurrar isto, veio um vinho tinto também de Arraiolos e até o pão era uma maravilha. De seguida ainda tivemos espaço para umas migas de espargos com carne de porco. Para sobremesa veio um "morgado", para fazer juz ao meu nome e um "papo de anjo" e no final os cafézinhos da praxe.
Depois do almoço fomos dar uma volta pelas casas dos tapetes

e antes de sairmos do recinto ainda comprámos uma embalagem de "Pasteis de Toucinho", que é uma especialidade da doçaria de Arraiolos com marca registada.
Fomos a seguir até ao Castelo, também conhecido como Paço dos Alcaides, que como já disse foi construído em 1305.

Junto à entrada, encontra-se a Torre Sineira, que já só tem um sino.

Das ameias do castelo tem-se uma vista sobre as casas brancas da vila e dos campos em redor.

A partir do séc. XIV, o castelo começou a dar mostras de abandono, por ser um local ventoso e frio, não sendo agradável para habitar.
No início do séc. XVII, começou a ser saqueado para aproveitamento de materias para a construção e o Pátio de Armas transformou-se num curral.
Em 1755, o terramoto aumentou-lhe os estragos que já tinha e no séc. XIX o Pátio de Armas serviu de cemitério para as vítimas de cólera da região.
No início do séc. XX, foi classificado Monumento Nacional e de 1959 a 1963, foi alvo de algum restauro.
No interior, no ponto mais alto, encontra-se a Igreja Matriz do Salvador, que é do séc. XVI.

Demos depois uma volta por algumas ruas e regressámos a casa, tendo passado por campos de sobreiros, onde andavam porcos comendo a bela bolota.

4 comentários:

Rosa Maria disse...

Adorei os porquinhos .....
brincadeirinha, tudo está muito lindo.
Um forte abraço

Dylan disse...

Adoro o Castelo, bem situado...

Mendes disse...

Amigo Morgado!

Gosto muito de fotografias... ao ver as suas fotos eu o invejo e agradeço por dividir com nós tão lindas imagens acompanhadas de tantos detalhes que nos levam a viajar juntos com vocês.
Obrigado amigo.

Vagamundos disse...

Arraiolos é uma daquelas localidades a que sabe sempre bem regressar.
Abraço